Um Frankenstein para crianças

Novo espetáculo do Teatro Sarcáustico traz as aventuras do jovem gênio Victor Frankenstein que, ao cansar de se sentir excluído na escola, cria um melhor amigo para si: Franky. Excelente espetáculo, muito engraçado, com ótimo ritmo. Com um clima à lá Tim Burton, uma mensagem que convida a aceitarmos quem é diferente de nós, e nenhum risco à crianças de qualquer idade. Confere: até o dia 1º de dezembro, na sala Álvaro Moreyra do Teatro Renascença. Sábado e Domingos, às 16:00.

Dá uma conferida nas fotos analógicas de dois ensaios:

Direção e Dramaturgia: Daniel Colin

Elenco: Guadalupe Casal e Ricardo Zigomático

Figurino: Guadalupe Casal

Cenografia: Ricardo Zigomático

Iluminação e Operação de Luz: Maíra Prates

Levaram Samuel. Nós ficamos com ele.

Esta semana, perdi um amigo. Meus amigos perderam um amigo. E o mundo perdeu uma grande pessoa.

É muito difícil significar um acontecimento como este. É muito difícil imaginar que exista uma explicação possível. É muito difícil não buscar uma explicação.

A gratuidade do assassinato expressa tantas coisas! Samuel era uma pessoa extremamente amorosa. Levava seu amor para todos os cantos. Amava a liberdade e a espalhava aos sete ventos.

Não sei se ele foi assassinado com algum propósito. Talvez tenha sido uma aleatoriedade. Mas sei que alguém como Samuel ter sido morto me diz algo. Me diz que o mundo está assustado. Que ideias, palavras e ações amorosas assustam muita gente.

E isso me diz algo mais: que, se estamos no ponto de uma pessoa como Samuel assustar alguém, estamos muito, mas muito próximos da mudança pela qual Samuel lutava.

Segundo a Airi, o Samuel falava sobre a autobiografia do Gandhi. Bem, Gandhi dizia uma coisa curiosa: “primeiro eles te ignoram, depois eles te ridicularizam, depois eles lutam contra você, e depois você vence”. Talvez o assassinato de Samuel tenha sido mais um espasmo de uma cultura que morre desesperada. Talvez seja mais um sinal de que estamos vencendo, de que as chances do mundo mudar aumentam.

Eu não sei dos porquês. Mas sei que escolho seguir na direção que Samuel ia. Sei que existem muitos caminhos para subir nesta montanha. Mas o topo é o mesmo.

Segue com a gente, querido.

Samuel